Atualmente, depois de um longo período de crise, o mercado brasileiro de impressão se vê otimista para os desafios previstos para o ano de 2018. Para atingir o sucesso de suas operações de acordo com as demandas atuais, os remanufaturadores de toner e de tinta necessitam de muito mais dinamismo, diversidade e abrangência nos seus pontos de atuação.

Segundo Luiz Pernambuco, há mais de 30 anos como um dos principais nomes da área de impressão e componentes, tudo o que se fazia há cinco, 10, 15 anos atrás, hoje, já não funciona mais. O mundo mudou e, por isso, o mercado de impressão também deve mudar e se adequar aos novos comportamentos, às novas tecnologias e às novas necessidades.

É preciso estar preparado e aberto para a inovação e as novas formas de consumo, como por exemplo:

  • Revendedores de cartucho
  • Distribuidores em geral
  • Prestadores de serviço de impressão
  • Trocadores de equipamento
  • Empresas de MPS
  • Terceirizadas de serviço
  • Lojas físicas e/ou virtuais
  • Micro, pequenas, médias e grandes empresas

Todos os exemplos de atuação acima estão relacionados à indústria de impressão, fabricação de papel, mercado de informática e de cartucho e toner. Portanto, são espaços onde o remanufaturador tem amplas possibilidades de crescimento.

A indústria de remanufatura vai terminar?

Luiz Pernambuco explica apesar das dificuldades, a remanufatura não vai acabar. Pois, num cenário onde o toner compatível não atende à qualidade esperada, onde o OEM (Original Equipment Manufacturer) é muito caro, ou ainda quando há demandas específicas do serviço do toner, o trabalho de remanufatura continuará como alternativa.

Que momento a indústria está passando?

De acordo com dados de mercado, no último ano, o volume cresceu 11% e deve voltar aos níveis de 2013 com a recuperação da crise econômica. Além disso, Luiz Pernambuco ainda ressalta que, para manter a consistência, qualidade e lucratividade do trabalho, é necessário estar de olho em algumas tendências:

  • Estabilização e/ou redução das folhas impressas
  • Responsabilidade ambiental
  • Toner compatível novo continuar crescendo

Como obstáculos para o ano de 2018, podem ser destacados o crescimento contínuo dos custos fixos e a erosão de margens. Portanto, a sustentabilidade do negócio está diretamente ligada à capacidade de trabalhar com um volume maior.

Reinvenção e relacionamento

É necessário saber se posicionar, entender as necessidades e como o mercado funciona. Planejar 2018 com otimismo e se reinventar, afinal, o público mudou e são muitas as opções para uma empresa que presta serviço de impressão digital. É necessário criar relacionamentos duradouros com seus clientes. E, para isso, é necessário estar aonde seu público está, explorando ao máximo o ambiente digital, tanto como forma de comunicação quanto de ativação de vendas.

E você? Quais são seus desafios para 2018? Deixe seu comentário.